"Sidney, Austrália: de 141 pessoas no Hospital com Covid: 140 pessoas têm já dose dupla da vacina; uma pessoa tem apenas uma dose da vacina", lê-se na respetiva publicação no Facebook, datada de 26 de julho.

No excerto do vídeo, com menos de um minuto, que está a ser partilhado nas redes sociais, um homem surge a informar, em língua inglesa: "Estes são os números de pessoas hospitalizadas. São 141 pessoas que estão internadas com Covid-19, atualmente, e 43 estão em unidades de cuidados intensivos, das quais 18 requerem ventilação. (...) Todos menos um doente estão vacinados e uma das pessoas recebeu apenas uma dose da vacina." Após esta afirmação o vídeo termina.

Verificação de factos.

O vídeo apresentado na publicação é verdadeiro, no entanto, trata-se de um excerto de uma conferência de imprensa da situação pandémica em New South Wales (NSW), estado no sudeste da Austrália, que foi cortado com o propósito de ser divulgado de forma descontextualizada, tal como verificado pela plataforma de verificação de factos da Agence France Presse (AFP).

O interveniente do vídeo é Jeremy McAnulty, representante do ministério da Saúde de NSW. O especialista falava aos jornalistas sobre a situação pandémica no dia 25 de julho, indicando, entre outros dados, o número de pessoas infetadas com Covid-19 a receber cuidados hospitalares. Quando McAnulty referiu quantas pessoas se encontravam vacinadas, do total de internados, equivocou-se, indicando que 14o pessoas estavam vacinadas e apenas uma não tinha vacina, mas esta informação não é correta.

Na verdade, e tal como revelou fonte oficial da autoridade de Saúde de NSW à AFP, trata-se precisamente do contrário, "todos [os internados] eram não vacinados, exceto um".

No vídeo completo, que pode assistir aqui, por volta do minuto 34, McAnulty reconhece o erro e clarifica a questão: "Dos 43 pacientes em unidade de cuidados intensivos, 42 não foram vacinados. Uma pessoa recebeu apenas uma dose da vacina contra a Covid-19." Ou seja, na versão completa do vídeo da conferência de imprensa é o próprio autor da afirmação a esclarecer o equívoco.

Em suma, apesar de verdadeiro, o excerto do vídeo analisado foi cortado de forma a isolar uma declaração incorreta (posteriormente corrigida) proferida por um responsável do ministério da Saúde do estado australiano. Pelo que a informação da publicação se encontra descontextualizada.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falta de contexto: conteúdos que podem ser enganadores sem contexto adicional.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Descontextualizado
International Fact-Checking Network