A publicação em causa parece ter uma componente de ironia, mas não deixa de difundir uma alegação concreta e passível de ser analisada em artigo de verificação de factos. "Há um aumento nos casos Covid-19 porque tem havido um aumento na testagem. Se mais pessoas fizessem testes de QI, haveria também um aumento de idiotas", destaca-se na mensagem, em referência à nova vaga de casos de infeção por Covid-19 em Portugal que parece estar a formar-se durante este mês de setembro, com números diários cada vez mais próximos do pico registado entre março e abril.

covid-19

O recente aumento dos casos positivos de Covid-19 está relacionado com o aumento dos testes?

Questionado pelo Polígrafo sobre esta matéria, Pedro Simas, virologista do Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa, sublinha que "não há dúvida de que quanto mais testes se fizerem, mais casos se encontram". Contudo, Simas entende que este aumento dos casos não deve ser visto como algo "dramático".

No início da pandemia, "quando quase não havia capacidade de testes e esta duplicava de dia para dia, o aumento da testagem tinha um impacto muito grande. Agora, não acredito que tenha um impacto factual tão grande", ressalva o virologista.

De acordo com os dados inscritos na plataforma "Our World in Data", com base em informação do Ministério da Saúde, Portugal apresenta uma subida constante (sem qualquer retrocesso) do número de testes por semana desde 10 de agosto. Desde essa data passou-se de 94.767 para 127.046 testes, realizados entre 7 e 13 de setembro. O número de casos positivos por semana subiu de 1.444 para 3.367, acompanhando o aumento dos testes.

dados Covid-19

Por outro lado, Simas diz que se sabe que há cerca de "10 vezes mais infetados" em Portugal do que aqueles que são confirmados por testes. Algo que, sublinha, tem uma justificação biológica: "Estes vírus causam um número de infeções assintomáticas muito grande".

Além dos casos suspeitos também se testam os "contactos de risco dos infetados", ao que acrescem os testes a pessoas que "viajam para os Açores ou Madeira", indica Simas, concluindo que "é normal que aumente ligeiramente o número de novas infeções".

No dia 10 de setembro, o primeiro-ministro António Costa enalteceu a capacidade de testagem à Covid-19 por parte do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e defendeu que "quanto mais se testar, mais rapidamente se consegue conter a transmissibilidade".

Na mesma ocasião, Costa anunciou que “Portugal já ultrapassou a barreira de dois milhões de testes realizados à Covid-19. Até 6 de setembro, o número de testes efetuados foi de 2 milhões e 186 mil testes, sendo que no dia 8 de setembro foi batido um recorde de testes efetuados que atingiu um total de 20.527 testes".

_____________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network