De acordo com o gráfico em causa, as despesas do Estado na Saúde terão baixado de 4,7% do PIB em 2015 para 4,4% do PIB em 2018.

"Para memória futura", comenta o autor da publicação, indicando como fonte a base de dados "Pordata".

Confirma-se que as despesas do Estado na Saúde diminuíram ao longo dos últimos anos?

De facto, no que concerne às despesas do Estado na Saúde, a execução orçamental em percentagem do PIB tem vindo a decrescer ano após ano desde 2012 (pode consultar aqui os dados compilados na Pordata).

No ano de 2012, em pleno período de resgate da troika, as despesas do Estado na Saúde atingiram um pico de 6,2% do PIB, caindo para 4,7% do PIB em 2015, no final da legislatura em que exerceu funções o Governo liderado por Pedro Passos Coelho.

Em 2016, no primeiro ano completo do anterior Governo liderado por António Costa, as despesas do Estado na Saúde mantiveram-se no mesmo nível de 4,7% do PIB, atendendo à execução orçamental. No entanto, viriam a baixar para 4,5% do PIB em 2015 e 4,4% do PIB em 2018.

Ou seja, a publicação sob análise difunde informação verdadeira. Confirma-se que as despesas do Estado na Saúde diminuíram ao longo dos últimos anos, em termos de execução orçamental em percentagem do PIB.

Por outro lado, importa salientar que o PIB tem vindo a aumentar ano após ano desde 2013, na sequência de uma queda abrupta em 2011 e 2012.

Em suma, a análise da evolução das despesas do Estado em Saúde em percentagem do PIB deve ter em conta a evolução do PIB em termos absolutos.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network