No “Jornal das 8” da TVI, a 17 de dezembro, o comentador e jornalista Miguel Sousa Tavares destacou um “tweet” de Arnaldo Matos, histórico fundador e dirigente do PCTP/MRPP, como uma das frases da semana. Nesse “tweet”, Matos escreve o seguinte: “As redes sociais são uma peste... As pessoas acham que podem dizer o que lhes vai na cabeça... Uma pergunta ao monhé: se o país está tão bem porque é que há 47 pré-avisos de greve?”

Para Sousa Tavares, “não era de esperar que ao grande marxista-leninista português, o grande educador da classe operária, lhe passasse pela cabeça um discurso tão racista. Porque chamar ‘monhé’ ao primeiro-ministro não é próprio de alguém que é de esquerda. E sobretudo não é educado. O grande educador é muito mal educado”.

O “tweet” em causa é verdadeiro, tendo sido publicado por Matos no dia 10 de dezembro, ilustrado com uma fotografia do primeiro-ministro António Costa. A conta na rede social Twitter é mesmo do secretário-geral do PCTP/MRPP, embora não seja ele que publique as mensagens (escreve-as à mão e depois é a companheira que as introduz na página digital, como revela o jornal “Expresso” em reportagem publicada na edição de 15 de dezembro). Aliás, Matos assume a responsabilidade e autoria do que tem sido publicado nessa página, pelo que não há dúvidas de que é verdadeira.

De resto, não foi a primeira vez que Matos se referiu à Costa como “monhé”. No dia 22 de agosto, por exemplo, publicou a seguinte mensagem: “Um governo de Monhés! Cabrita vê no incêndio de Monchique uma vitória do governo. Costa vê uma mera excepção à excelente política do seu governo. Centeno vê na Grécia o fim da inteligente política da Tróica… Uma canalha de provocadores!” No mesmo dia, perante uma vaga de acusações de racismo, Matos justificou-se desta forma: “Meus caros: temos um governo dirigido por um monhé e isso não tem nada de racismo: os americanos também estiveram dirigidos por um negro e não há racismo nessa classificação”.

António Costa não é alvo único da violência verbal de Arnaldo. Fique com algumas das frases mais agressivas que o líder histórico do MRPP já publicou  seu perfil do Twitter:
"O que é racismo é um palhaço como Centeno insultar os nossos irmãos gregos , elogiando a política terrorista da Tróica, aplicada de igual modo aos Gregos e aos Portugueses."
  • "Racista é o monhé, não eu, que sou comunista e marxista."
"Marmelete, aldeia de Monchique, foi tomada de assalto pela GNR, às 04H00 da manhã do dia 8 de Agosto, que pretendeu expulsar a população. Reunido no adro da igreja, o povo escorraçou os terroristas da GNR. Viva Marmelete! Não esqueçam este nome! Visitem Marmelete!O povo merece!"
  • "Não é de admirar. Como social-fascista da UEC de Barreirinhas Cunhal, Daniel, em 1974/75, decerto também andou pelas colectividades do Barreiro a organizar bailes das meninas do PCP com os guardas da GNR! Ah, Catarina Eufémia! Tu nem imaginas o que são estes jornalistas de merda!"
"Vão poder os vereadores do PS e do BE continuar a mamar – eu disse mamar- dez milhões de euros por mandato como o Robles?"
  • "Agora já sabem qual é a verdadeira ideologia de Louçã, Rosas, Mário Tomé e de toda a escumalha do Bloco: a ideologia dos especuladores imobiliários, dos reaccionários sem escrúpulos, dos exploradores disfarçados de anarquistas, trotsquistas, albanistas e revisionistas."
"Eu não vos dizia que isso era tudo um putedo?! No princípio, nem queriam ouvir falar de ideologia. Agora mostram ao que vêm: ao dinheiro, à especulação imobiliária, ao assalto."
  • (… ) "Só D. Jerónimo de Sousa, bispo do PCP, acha que o País está incomparavelmente melhor para os pobres, graças ao apoio do PCP, do Bloco e dos Verdes ao partido e governo de António Costa…"
"Agora que os trabalhadores portuários desencadearam a greve pela conquista dos seus direitos, logo o governo de lacaios do capitalismo e do imperialismo se prepara para lançar contra os estivadores a famigerada requisição civil."
  • "Para Costa e seus negreiros, os estivadores não têm direitos; direitos têm apenas os que sugam o sangue e o suor dos estivadores."
"Uma Pergunta aos social-fascistas do PCP: se o País está tão mal, porque aprovaram o Orçamento e apoiam o governo?"
  • "Uma Pergunta aos oportunistas do Bloco: se a saúde está mal, se o salário mínimo é baixo, se os professores estão abandonados, se os funcionários públicos não são aumentados, etc., etc. e tal, porque aprovaram o Orçamento e apoiam o governo?"
"Uma Pergunta aos operários: então, isto não é tudo um putedo?"
Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro