"Apenas 1,5% votaram a favor da moção de confiança a André Ventura e a votação não foi secreta".

A garantia é dada pelo "Cheganos", site exclusivamente dedicado à crítica ao Chega e a André Ventura e refere-se à votação da moção de confiança ao líder do Chega, ocorrida no passado dia 18.

No final de agosto, na sequência das suas divergências públicas com Gabriel Mithá Ribeiro (vice-presidente e deputado do partido) - que resultaram na demissão deste do cargo que ocupava na direção do Chega -, André Ventura pediu à Mesa do Conselho Nacional a convocação de um Conselho Nacional (CN) extraordinário do partido para apresentar uma moção de confiança à sua liderança. A sua solicitação foi imediatamente aceite e ficou desde logo definido que naquela que é a reunião mais importante entre congressos pudessem participar também os militantes (e não apenas os conselheiros nacionais), embora sem direito de voto.

Na semana que antecedeu o CN, a Mesa anunciou - novamente após solicitação da direção do partido - que também a votação fosse alargada aos militantes presentes na referida reunião, a realizar na Batalha nos dias 17 e 18 de setembro.

Segundo os dados oficiais do partido – constantes no site e confirmados pelo Polígrafo junto da assessoria de imprensa do Chega – estes foram os dados da participação de militantes no CN resultados da votação da moção de confiança a André Ventura:

Inscritos no CN - 901 militantes

Participantes no CN - 619

Votantes - 590

Votos a favor da moção de confiança - 574 (97,3%)

Votos contra a moção de confiança - 15

Nulos - 1

Porém, todos os militantes do Chega estavam habilitados a exercer o direito de voto, pelo que a percentagem de filiados que efetivamente votou favoravelmente a moção de confiança a André Ventura e sua direção deve ser calculada em função do número total com capacidade eleitoral ativa (quotas em dia). 

Nesta situação, segundo a assessoria de imprensa do terceiro maior partido, estavam "cerca de 20 mil" militantes. Assim:

Votos - 574

Militantes - 20.000

Percentagem - 2,87%

Assim, os 1,5% mencionados na afirmação aqui verificada não são matematicamente rigorosos mas estão na mesma ordem de grandeza da realidade. A cifra em causa toma como referência o universo de militantes (40.000) várias vezes aludido por André Ventura, inclusive no próprio discurso de vitória e de encerramento do CN, quando afirmou: "Todos os militantes, do um ao 40 mil, foram chamados."

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
International Fact-Checking Network