O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Anúncio de emprego nos Açores exige “boa capacidade de ler e compreender o português do Continente”?

Sociedade
O que está em causa?
Está a ser partilhada nas redes sociais uma oportunidade de emprego na área do "controlo de qualidade". A vaga está disponível em Ponta Delgada, nos Açores, e no anúncio são enumerados os requisitos para ocupar o lugar, entre eles a capacidade de ler e compreender português. Mas há um pormenor caricato, refere-se que os conhecimentos da língua têm de corresponder ao padrão "do continente". É verdade?

Uma publicação no Facebook onde é partilhado um anúncio de emprego, de 30 de junho, soma dezenas de reações e comentários. A incredulidade dos utilizadores da rede social prende-se com os requisitos para ocupar uma vaga no Instituto de Marketing Research, em Ponta Delgada, nos Açores.

“À atenção dos açorianos que sabem falar, escrever e compreender português do continente! Oportunidade de emprego”, destaca-se, em tom irónico, na legenda do post.

Ao Polígrafo, fonte oficial do Instituto de Marketing Research, uma empresa de consultoria de Research e Marketing com sede em Lisboa, afirma que a situação reportada “trata-se de um lamentável lapso de edição que, infelizmente, não tinha sido detetado até ao momento” e apresenta desculpas “a todos os que possam, legitimamente, ter sentido afronta, desconsideração ou sentimento desfavorável”.

A empresa garante que a inserção do texto “do continente” deveria estar no item 3: “Disponibilidade de horário rotativo (entre as 6h e as 23h, do continente)” e não no item 1. E acrescenta que a inclusão do item “boa capacidade de ler e compreender o português” pretendia ser “o mais inclusiva e abrangente possível, para contemplar outras nacionalidades para além da portuguesa”. Remete, aliás, a versão corrigida do anúncio.

Segundo a consultora, “a função em causa não pressupõe interação (nem escrita, nem falada) com outras pessoas, mas sim a análise de documentos”. Assinala ainda a implementação de um “rigoroso Código de Ética, totalmente incompatível com ações restritivas da dignidade humana”. 

Em suma, é verdade que foi publicado um anúncio de emprego para uma vaga nos Açores que exigia “boa capacidade de ler e compreender o português do Continente”. No entanto, a empresa contratante garante que se tratou de um lapso, apresentando desculpas aos lesados.

____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque