"Muita coisa mudou em 50 anos de 'democracia'", destaca-se no topo da publicação (sim, com a palavra democracia entre aspas). Essa mudança traduz-se em duas imagens exibidas em forma de contraste: a primeira supostamente mostra a "casa do democrata António Costa" (mais precisamente, o portão de um condomínio de luxo situado em Sintra); a segunda mostra a "casa do ditador [António de Oliveira] Salazar" (mais precisamente, a famigerada casa onde nasceu, em Vimieiro, Santa Comba Dão).

O facto é que o atual primeiro-ministro viveu durante dois anos, entre 2012 e 2014, num apartamento duplex arrendado na Avenida da Liberdade, Lisboa. Mudou-se depois para uma moradia situada em Fontanelas, Sintra, integrada no condomínio fechado Villas Catarina. A imagem da publicação retrata a entrada desse condomínio em Sintra.

No entanto, em dezembro de 2018, Costa vendeu essa moradia por 350 mil euros e adquiriu uma outra casa na rua Cláudio Nunes, em Benfica, Lisboa, por 327 mil euros.

"O primeiro-ministro vendeu moradia em Sintra e comprou casa em Benfica. Transações foram feitas em dezembro e podem ser comunicadas até fevereiro. Tudo legal, mas faltou declarar conta ao Tribunal Constitucional", noticiou o jornal "Observador", no dia 8 de janeiro de 2019.

Ou seja, Costa já não detém a casa do condomínio Villas Catarina, em Sintra, e está a viver em Benfica, Lisboa, desde o final de 2018. Há mais de quatro anos.

"Entretanto, o primeiro-ministro já vendeu a casa da Cláudio Nunes e é agora arrendatário de um apartamento que fica também em Benfica, na Rua Emília das Neves. O local é provisório, já que o primeiro-ministro comprou um T1 num prédio de luxo na mesma zona, na Avenida Gomes Pereira, por 276.050 euros", segundo apurou o jornal "Observador.

___________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.