O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Ansiedade e “stress” provocam enxaqueca, fibromialgia, dermatite atópica e depressão?

Sociedade
Este artigo tem mais de um ano
O que está em causa?
"Inflamam o corpo, libertando uma cascata química provocando distúrbios como enxaqueca, fibromialgia, dermatite atópica e depressão. Não deixe a tristeza criar raízes. Aqueça o coração com o poder das flores do 'Floral F-Core' e com o poder da 'Cereja Selvagem', juntos vão aquecer e ativar sua energia vital", garante-se num vídeo que está a ser difundido nas redes sociais.

Um chá que ajudará a aliviar o stress e a ansiedade é promovido num vídeo que está a ser difundido nas redes sociais, com mais de 40 mil visualizações em poucos dias, no qual se destaca que “o emocional adoece o nosso corpo”.

“Ansiedade e stress inflamam o corpo, libertando uma cascata química provocando distúrbios como enxaqueca, fibromialgia, dermatite atópica e depressão. Não deixe a tristeza criar raízes. Aqueça o coração com o poder das flores do ‘Floral F-Core’ e com o poder da ‘Cereja Selvagem’, juntos vão aquecer e ativar sua energia vital”, realça-se na publicação em causa.

“Você merece viver sem essa angústia. Aproveite. Frete grátis para os kits de tratamento. Temos outras opções como os florais individuais, se você preferir, o importante é cuidar das suas feridas emocionais”, conclui-se.

Estas alegações têm fundamento médico ou científico?

Questionado pelo Polígrafo, Miguel Ricou, presidente do Conselho de Especialidade da Psicologia Clínica e da Saúde, começa por explicar que “é evidente que as emoções, ou perturbações emocionais, são alterações fisiológicas do nosso corpo e portanto são físicas. Nós depois damos-lhes significado – isto está associado à ansiedade, ao medo, à insegurança -, mas são reações fisiológicas. É o corpo a preparar-se automaticamente para reagir a uma circunstância que é identificada como perigosa ou perturbadora”.

“Se, eventualmente, as emoções alteram a fisiologia, é evidente que criam alterações naquilo que é o nosso ritmo, a nossa dinâmica”, sublinha.

No entanto, ao afirmarmos que as perturbações emocionais provocam reações fisiológicas, sem mais contexto, “parece que estamos a indicar que para o ser humano há fatores únicos que causam isto”.

Publicação no Facebook destaca uma tabela em que Portugal surge na primeira posição ao nível da União Europeia, no que concerne ao risco ou experiência de "burnout" (esgotamento físico e mental), classificada como uma doença pela Organização Mundial da Saúde desde o início de 2022. A informação é fidedigna?

Não há fatores únicos que causam isto“, ressalva. “nós somos um conjunto de fatores que naturalmente interagem e, em função disso e das nossas características individuais, podem vir provocar desequilíbrios e perturbações. Quando falamos neste tipo de coisas, em doenças de pele por exemplo, há muitas delas que têm uma dimensão psicológica muito marcada. Aquilo que existir como doenças prévias ou fragilidades fisiológicas do indivíduo podem aparecer”.

Ricou considera que as alegações do vídeo são no mínimo “descontextualizadas“, porque “nunca nada é causado apenas e só por fatores psicológicos”.

Assim como “nunca nada é causado apenas por fatores físicos, porque mesmo que eu esteja exposto a um agente patogénico, se eu estiver muito bem com ótima imunidade, se calhar não me acontece rigorosamente nada. A imunidade tem a ver com reações físicas, mas também psicológicas“, conclui.

____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque