"Enquanto no Parlamento andam entretidos a discutir o sexo dos anjos e semana de trabalho de quatro dias… A taxa de inflação em Portugal atingiu em abril os 7,2%. Este é o valor mais elevado registado desde março de 1993", salienta-se no post de 8 de maio no Facebook, denunciado como falso ou enganador.

"Um valor que provavelmente andará nos 10% no final do ano", acrescenta-se no mesmo texto. "A ideia do Governo, de que a inflação é temporária, é quase uma utopia e, provavelmente, vamos ter que conviver com ela durante bastante tempo, face à atual conjuntura europeia. Se juntarmos a isso o aumento dos juros e o que isso significa no bolso das famílias. E que somos um dos países mais endividados do mundo".

De facto, no dia 29 de abril, o Instituto Nacional de Estatística (INE) publicou o mais recente boletim sobre o "Índice de Preços no Consumidor - Estimativa Rápida (Abril de 2022)", destacando que "tendo por base a informação já apurada, a taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá aumentado para 7,2% em abril (5,3% em março). Trata-se do valor mais elevado registado desde março de 1993".

"O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) terá registado uma variação de 5,0% (3,8% no mês anterior), registo mais elevado desde setembro de 1995. Estima-se que a taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos se situe em 26,7% (19,8% no mês precedente), valor mais alto desde maio de 1985, enquanto o índice referente aos produtos alimentares não transformados terá apresentado uma variação de 9,5% (5,8% em março)", informou o INE.

"Comparativamente com o mês anterior, a variação do IPC ter-se-á fixado em 2,2% (2,5% em março e 0,4% em abril de 2021). Estima-se uma variação média nos últimos 12 meses de 2,8% (2,2% no mês anterior). O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português terá registado uma variação homóloga de 7,4% (5,5% no mês anterior)", lê-se no mesmo boletim.

Entretanto, no dia 11 de maio, o INE publicou os dados definitivos referentes ao IPC do mês de abril de 2022 e confirma-se:

"A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi de 7,2% em abril de 2022, taxa superior em 1,9 pontos percentuais (p.p.) à observada no mês anterior e a mais elevada desde março de 1993."

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network