"Fórmula inovadora de Nicholas Lundin para aprender línguas estrangeiras em algumas semanas". Este é o título de um artigo que está a circular nas redes sociais, com maior intensidade nas últimas semanas. "Nicholas Lundin, de 64 anos, poliglota e conhecedor fluente de 20 línguas, apresentou aos portugueses a sua fórmula para aprender línguas em algumas semanas. Esta fórmula permite em pouco tempo começar a comunicar sem dificuldades em qualquer língua estrangeira. O método do poliglota dinamarquês lança um desafio às tradicionais escolas de línguas", lê-se no texto.

"Muitos portugueses já abandonaram métodos tradicionais ineficazes para aprender línguas estrangeiras e enveredaram pelo método de Nicholas Lundin", prossegue. "Independentemente da idade, formação académica e das capacidades peesoais poderá falar fluentemente uma nova língua em 4 semanas. Isto é apenas uma ponta do véu. Graças ao método de Nicholas Lundin pode aprender 2, 3 e até 4 idiomas!"

No final do artigo em causa, o leitor é incentivado a "clicar aqui para encomendar Smart Lang" e "começar a falar fluentemente uma língua estrangeira em algumas semanas". Mais, aproveitando uma "promoção especial até quarta-feira, dia 26 de dezembro de 2018" (no dia anterior indicava que a promoção terminaria nesse mesmo dia). A partir desse "clique", o leitor é direcionado para uma página com citações na primeira pessoa do misterioso poliglota Nicholas Lundin, desde logo mais um incentivo: "Aprenda línguas comigo!"

"Já milhares portugueses abandonaram os métodos enfadonhos e ineficazes de aprendizagem de línguas. Não acha que já é altura de se juntar a eles? Pode parecer uma piada. Eu, um poliglota famoso? E um dos melhores linguistas na Europa!? Não tirei o doutoramento em linguística nem nenhum curso superior. Para dizer a verdade, nunca fui um ás em línguas e o meu professor de inglês dizia que mais depressa ele se tornaria um astronauta do que eu conseguir alguma vez passar num exame desta língua", explica Nicholas Lundin.

Na mesma página surgem vários testemunhos de supostos utilizadores do método, com nomes próprios portugueses (sem apelidos). Por exemplo, "Maria, 67 anos", diz o seguinte: "Dizia a mim mesma que com a minha idade já não valia a pena aprender línguas estrangeiras. Sobretudo porque tenho apenas formação profissional... Mas quando vi o artigo acerca dos cartões didáticos, pensei: 'Não tenho nada para perder, posso estudar em casa sem ninguém ver'. E foi a melhor ideia que tive desde que me reformei! Com Smart Lang não há ninguém que não consiga falar uma língua estrangeira".

O problema é que "Maria, 67 anos", não existe. Ou pelo menos a fotografia da alegada "Maria, 67 anos" foi retirada de um banco de imagens, o Shutterstock, na categoria de "empresária sorridente ou dona-de-casa em grande plano". O mesmo se aplica às fotografias dos outros testemunhos, com nomes portugueses, todas provenientes de bancos de imagens. É um primeiro indício forte de se estar perante uma falsidade ou fraude.

Mas voltemos ao texto principal. "A alta eficácia deste método para aprender línguas assenta no sistema de cartões didáticos interativos. Não são mais que cartões multimédia para aprender línguas estrangeiras por meio do uso de computador, smartphones, tablets e outros equipamentos eletrónicos, disponibilizados na plataforma online. Estes cartões incluem tudo o que me permitiu aprender 20 idiomas. Cada cartão contém a apresentação de uma nova palavra e de uma gravação de som com a pronúncia correta da palavra e um exemplo da sua aplicação numa frase", explica o poliglota.

"Quando observa um cartão, o seu cérebro é obrigado a associar as palavras com cada um dos elementos acima mencionados. Em vez de uma conexão associativa 'palavra em português - palavra na língua estrangeira' que ocorre durante a aprendizagem tradicional de uma lista de palavras, graças aos cartões didáticos, o cérebro forma até 3 conexões deste tipo. Irá dominar inglês, alemão, russo ou qualquer outro idioma muito rapidamente", garante Nicholas Lundin.

Os referidos cartões didáticos são a base do negócio que se propõe mais à frente. "Gostaria que o maior número possível de pessoas pudesse beneficiar deste método inovador de aprendizagem. Por isso, garanto-lhe que ao requisitar um acesso à plataforma interativa online recebê-lo-á dentro de um dia. E não é tudo! Se enviar agora o seu pedido para ter acesso à plataforma Smart Lang receberá um DESCONTO DE 44%. Ao aproveitar este desconto, o acesso à plataforma online com cartões didáticos, em vez de 118 irá custar-lhe apenas 65 euros".

A partir do momento em que tentar adquirir o serviço, aproveitando a promoção, começam a ser-lhe pedidos dados pessoais. Segue-se a disponibilização de métodos de pagamento. Mas trata-se de um esquema fraudulento. O poliglota Nicholas Lundin não existe, nem o método Smart Lang. É uma fraude que começou a ser difundida na Alemanha e na República Checa, tendo chegado mais recentemente a Portugal, adaptada à língua e nomes portugueses. A forma de enganar os mais incautos (a transmitirem dados pessoais e efetuarem pagamentos) é precisamente o mesmo, tal como as fotografias retiradas de bancos de imagens.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso