"Dívida pública bate novo recorde em maio e chega aos 252,5 mil milhões de euros", destaca-se no título de uma nova publicação na página "Direita Política", já com centenas de partilhas nas redes sociais.

"A dívida pública atingiu 252,5 mil milhões de euros em maio, registando um novo aumento face ao mês anterior e renovando o máximo histórico, revelam dados do Banco de Portugal. Estes dados desmentem o discurso do ministro sem tino. Uma economia onde aumenta o endividamento e os cidadãos ficam mais pobres", lê-se no texto da publicação. "E continuará a subir, pois está tudo pior".

No final do texto surge um meme com a imagem de Mário Centeno, atual ministro das Finanças, sob a seguinte mensagem: "Apesar de a dívida pública continuar a bater sucessivos recordes; Mário Centeno está em condições de afirmar que está a descer".

Colocando de parte a componente subjetiva da publicação, nomeadamente as interpretações políticas, focamo-nos na estrita questão da dívida pública, a pedido de vários leitores do Polígrafo. É verdade que a dívida pública "bateu um novo recorde em maio" e "chegou aos 252,5 mil milhões de euros"? Verificação de factos.

No dia 1 de julho, o Banco de Portugal informou que a dívida pública, na óptica de Maastricht (a que conta para a União Europeia), atingiu os 252,5 milhões de euros em maio, mais 180 milhões de euros face a abril. Este valor é o mais alto em termos nominais pelo menos desde 2007, segundo os dados disponibilizados pelo Banco de Portugal.

De acordo com a "Nota de Informação Estatística - Dívida Pública - maio de 2019", publicada pelo Banco de Portugal no dia 1 de julho, "para esta subida contribuiu essencialmente o aumento de certificados do Tesouro e de empréstimos".

Em comparação com maio de 2018, a dívida pública aumentou 1.972 milhões de euros. Quanto à dívida líquida dos depósitos das administrações públicas ficou em 229.379 milhões de euros em maio, menos 549 milhões de euros que em abril. Na comparação com o mesmo mês de 2018, o valor da dívida líquida dos depósitos subiu 2.825 milhões de euros.

Em março de 2019, a dívida pública na óptica de Maastricht ficou nos 123% do Produto Interno Bruto (PIB), acima dos 121,5% do PIB em dezembro de 2018. Portanto, ao contrário do que se verificou no final de 2018, no primeiro trimestre de 2019 regista-se uma evolução negativa também ao nível do rácio da dívida pública em percentagem do PIB.

Concluindo, a publicação em análise é verdadeira no que concerne objetivamente à dívida pública.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro