"A China volta a estar na centralização da grande polémica sobre o vírus da Covid-19, desta vez é conhecido um relatório que foi publicado pelo jornal alemão 'Der Spiegel' onde dá conta que o presidente da China pediu à Organização Mundial da Saúde (OMS) que atrasasse a divulgação de informações sobre a transmissão do vírus, informação essa que foi dada ao mundo", indica-se no texto da publicação em causa, denunciada como sendo fake news por vários utilizadores do Facebook.

Confirma-se?

A publicação remete para um artigo da revista alemã "Der Spiegel", publicado no dia 8 de maio, no qual se revela o conteúdo de um relatório do Serviço Federal de Inteligência da Alemanha. Nesse relatório é indicado que o presidente da República Popular da China, Xi Jinping, no dia 21 de janeiro de 2020, terá pedido ao diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, para que retardasse a emissão de um alerta global sobre a ameaça da doença e o grau de transmissão entre humanos.

De acordo com o relatório, citado pela "Der Spiegel", "a 21 de janeiro, o líder da China, Xi Jinping, pediu ao líder da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, que ocultasse informações sobre a transmissão da doença entre humanos e adiasse um alerta da pandemia".

Importa porém ressalvar que o OMS, através de um tweet publicado no dia 9 de maio, desmentiu o alegado telefonema entre Xi Jinping e Ghebreyesus.

"Relatórios sobre um telefonema a 21 de janeiro entre o Dr. Tedros e o presidente Xi são infundados e falsos. Eles não falaram no dia 21 de janeiro e nunca falaram por telefone. Tais relatórios imprecisos distraem e prejudicam os esforços da OMS e do mundo para acabar com a pandemia de Covid-19", assegura-se na mensagem da OMS.

Entre o relatório dos serviços secretos alemães e o desmentido oficial da OMS, neste momento ainda não dispomos de dados suficientes que permitam concluir com segurança de que lado está a verdade.

Na publicação sob análise, porém, aponta-se para o artigo da revista "Der Spiegel" que revela o conteúdo do relatório, pelo que colocamos o enfoque na existência ou não desse relatório. O relatório existe, sim, mas permanece a dúvida sobre se o conteúdo do mesmo é verdadeiro, tendo em atenção o desmentido da OMS que é posterior à publicação sob análise.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network