“Quando me contaram pedi que averiguassem bem. Porque não queria acreditar, queria que fosse uma fake news, uma notícia falsa, uma informação falsa”. A reação emocionada do Presidente da Argentina, Alberto Fernández, aconteceu pouco tempo depois de ter sido oficialmente confirmada, esta quarta-feira, 25 de novembro, a morte de Diego Armando Maradona, um dos melhores futebolistas de sempre e um símbolo do país reconhecido em todo o mundo.

Ao longo da sua vida, “El Pibe” foi recorrentemente protagonista de várias notícias falsas, incluindo algumas que anunciavam a sua morte. Noutras, garantia-se que Maradona sofria de uma doença degenerativa grave. Múltiplos boatos que foram rivalizando com as conquistas alcançadas em campo.

  • Os problemas de saúde, um ecrã a negro e a falsa morte no Uruguai

Grande parte dos rumores relacionados com Diego Armando Maradona tinham origem nos problemas de saúde do ex-internacional argentino, principalmente depois deste se ter retirado dos relvados: ao excesso de peso juntou-se, em alguns momentos, o consumo de álcool e drogas.

Em janeiro de 2000, Maradona foi internado num hospital em Punta del Este, Uruguai, em estado crítico. Os rumores sobre a sua morte circularam a grande velocidade, como conta o jornal argentino “Perfil”, e dispararam quando o canal "Crónica TV" manteve durante três minutos o ecrã a negro, apenas com a hora (16h40). Para muitos, era a confirmação que Maradona tinha morrido.

Mais tarde, segundo a plataforma de verificação de factos “Newtral.es”, o médico que atendeu o antigo internacional argentino revelou que “El Pibe” tinha chegado ao hospital inconsciente e em estado muito grave, um quadro clínico provocado por problemas de hipertensão e arritmia.

Maradona recuperou e, duas semanas depois, viajou para Cuba com o objetivo de iniciar um programa de tratamento da dependência de drogas.

  • O acidente fatal desmentido por “El Pibe”

Em março de 2007, circulou a notícia de que Maradona tinha morrido num acidente de automóvel - e o rumor chegou mesmo aos media italianos. A notícia foi desmentida pelo próprio em declarações à "Rádio Del Plata" da Argentina.

“Estou muito enraivecido. Não se pode dar uma notícia assim. A minha mãe, que tem 80 anos, podia ter tido um enfarte”, disse aos jornalistas, a quem garantiu que o caso não ficaria por ali.

O ex-jogador revelou, na altura, que até um ministro o tinha contactado para o questionar sobre o seu estado de saúde. “Não sei quem me quer ver morto para dar esta notícia. Mas esclareço todos que estou mais vivo do que nunca”, finalizou.

  • O boato que inquietou o Presidente Kirchner

Cerca de um mês depois, a 25 de abril de 2007, Maradona “morreu” de novo. “El Pibe” encontrava-se internado na clínica psiquiátrica Avril, em Buenos Aires, quando o rumor começou a circular e os jornalistas se deslocaram em massa para a porta da unidade de saúde. Claudia Villafañe, ex-mulher do jogador, veio desmentir o boato: “Estou farta de que me telefonem para perguntar se ele morreu. O Diego está perfeito, não tem nada.”

Ao final do dia, o comunicado clínico oficial também garantia que o paciente se encontrava “clinicamente estável, sem complicações e a cumprir o tratamento médico prescrito”.

O rumor causou tal preocupação que o então Presidente da Argentina, Néstor Kirchner, mandou o ministro da Saúde, Ginés González García, confirmar a veracidade da notícia.

  •  No Mundial da Rússia, o rumor da morte circulou por WhatsApp

26 de junho de 2018. Maradona assistiu ao vivo, num camarote do estádio de São Petersburgo, à vitória da Argentina sobre a Nigéria que apurou a selecção argentina para os oitavos-de-final do Campeonato do Mundo de futebol.

“El Pibe” sentiu-se mal durante a partida, mas não precisou de hospitalização. Ainda assim, circularam no WhatsApp dois áudios nos quais se garantia que o antigo seleccionador tinha sofrido uma paragem cardíaca e “não tinha aguentado”, apesar de lhe ter sido aplicada uma “injeção de adrenalina”.

O boato foi desmentido pelas filhas Dalma e Gianinna e, mais uma vez, pelo próprio Maradona. “Quero dizer-lhes que estou bem, que não estou, nem estive internado. No intervalo do jogo contra a Nigéria doía-me muito a nuca e sofri uma descompensação”, contou na sua conta pessoal de Instagram. Mais tarde, durante o programa “De la mano del 10”, voltou ao tema: “Pareço morto?”

Durante a mesma competição, também foi dito que tinha sido barrada a entrada de Maradona num dos estádios russos, mas o vídeo propagado pelas redes sociais mostrava um segurança a indicar apenas que devia deslocar-se para outra porta.

Maradona
  • Alzheimer e Covid-19: mais dois desmentidos

Em junho de 2019, Maradona deixou de treinar a equipa mexicana Dorados de Sinaloa para permanecer na Argentina por motivos de saúde, que incluíam operações a um joelho e a ombro.

A decisão originou vários rumores, um dos quais assegurava que o antigo futebolista sofria de Alzheimer. Maradona utilizou a sua conta de Instragram para dirigir uma mensagem aos seus fãs e assegurar que se encontrava bem de saúde: “Olá a todos os maradonianos, que há muitos no país [Argentina], cada vez mais. Porque mentem, mentem… Falam de Alzheimer. Não sabem o que quer dizer a palavra Alzheimer, é muito lixada. As pessoas que têm Alzheimer morrem. Eu não estou a morrer.”

O boato foi igualmente desmentido pelo amigo e representante Matías Morla que pediu “contenção, carinho e acompanhamento” para o ex-jogador e garantiu que “todos os exames médicos realizados não demonstraram nenhum indício” de Alzheimer.

Em março deste ano, o campeão do Mundo em 1986 também desmentiu estar infetado com o novo coronavírus. “Estou saníssimo. Sinto-me muito bem, queremos ganhar”, disse, negando os rumores que indicavam que se encontrava em quarentena devido à Covid-19, como conta o jornal espanhol “Marca”.

  • A bebedeira na Bielorússia 

Um vídeo de Maradona alegadamente bêbado no tejadilho de um carro foi disseminado pelas redes sociais como sendo um exemplo do comportamento erróneo do argentino. De acordo com as publicações virais, as imagens tinham sido captadas durante uma visita do ex-futebolista à Bielorússia, em 2018. A acusação era falsa: segundo o jornal espanhol "As", o filme foi feito em 2017, quando Maradona foi a Nápoles - cidade onde alcançou alguma das suas maiores conquistas profissionais - para ser homenageado.

  •  “Persona non grata”

Há dois anos, propagou-se pelas redes sociais uma notícia na qual se assegurava que Maradona tinha sido declarado “persona non grata” pelo governo de Mauricio Macri, com quem o antigo jogador não mantinha uma boa relação. Como explica o site de verificação de factos argentino, "Chequeado", a informação era enganadora: tal determinação é feita através de uma lei e o Congresso nunca aprovou nenhuma medida idêntica.

  • O pedido de casamento que não aconteceu

A vida sentimental de Diego Armando Maradona também originou vários boatos. Em 2018, circulou o rumor de que o antigo jogador tinha ficado noivo da namorada da altura, Rocío Oliva. Segundo o site "Hoy Corazón", o ex-internacional pela argentina foi rápido a desmentir a informação: “Estão a fazer uma novela. Passo a vida a oferecer presentes à Rocío. Bvulgari e até Channel, tem de tudo. Acho que se ela colocar as jóias à venda pode comprar um apartamento em Puerto Madero [ndr: um dos bairros mais valorizados de Buenos Aires].”

Siga-nos na sua rede favorita.
International Fact-Checking Network