Cristiano Ronaldo tem dominado as manchetes de jornais e as redes sociais nos últimos dias, depois de revelados fragmentos da entrevista que cedeu a a Piers Morgan. O jornalista revelou que foi o jogador quem o abordou para dar a entrevista em que crítica sem rodeios o Manchester United, clube onde joga atualmente, bem como o atual treinador Erik Ten Hag.

A entrevista será transmitida hoje na "Talk TV", um canal britânico, às 20h. Além disso, será transmitida na RTP1. A primeira parte da conversa do craque português com o jornalista inglês poderá ser vista amanhã, 17 de novembro, após o 'Telejornal'. Já a segunda acontecerá na sexta-feira, 18 de novembro, às 21h.

Segundo Piers Morgan, foi também Ronaldo que escolheu a altura em que a conversa seria transmitida na íntegra, depois de já está integrado nos trabalhos de preparação da Seleção Nacional para o Mundial de 2022 no Qatar. O atleta revelou que não se sentiu apoiado pelo Manchester United quando a filha estava hospitalizada, motivo pelo qual falhou a pré-temporada do clube. O Polígrafo reune as informações falsas que, até hoje, marcaram a carreira da estrela de futebol portuguesa.

1. Cristiano Ronaldo anunciou que vai "desistir do futebol" por causa da compra do Manchester United por Elon Musk?

Tornaram-se virais no TikTok, com milhões de visualizações, vários vídeos protagonizados por Cristiano Ronaldo e Elon Musk. O jogador de futebol português surge a afirmar que vai "deixar o futebol" devido à suposta aquisição do Manchester United pelo empresário norte-americano. Outros vídeos mostram Musk a dizer que vai comprar o clube inglês porque "adora" Ronaldo. Está é uma das recentes falsidades que envolvem o jogador português.

"Ronaldo desiste do futebol por causa de Musk", destaca-se na legenda de uma publicação no TikTok que soma mais de sete milhões de visualizações. No vídeo, com apenas 14 segundos, Cristiano Ronaldo anuncia que irá abandonar a carreira. "Eu vou deixar o futebol, porque o Elon Musk vai comprar o meu clube. Eu não quero trabalhar com ele", diz o jogador em inglês.

É possível identificar o vídeo a partir do qual foi realizada a manipulação de som e imagem que coloca na boca de Ronaldo a afirmação de que vai abandonar a carreira devido à compra do clube onde atualmente joga. Trata-se de uma entrevista que o atleta cedeu ao canal britânico "Sky Sports" em janeiro de 2022.

Ronaldo não mencionou Musk ou manifestou qualquer intenção de abandonar o clube, ou a carreira nesta entrevista. Na altura, manifestou o seu descontentamento com o desempenho do Manchester United na Premier League e avisou que não estava no clube para "disputar o 6º ou 7º lugar da liga".

Avaliação: Falso

2. Presidente da República “pensa tirar condecoração a Cristiano Ronaldo”?

A verificação de factos remonta a setembro do ano passado. Numa publicação no Facebook afirmava-se que Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, estaria a ponderar retirar uma condecoração a Cristiano Ronaldo.

"O Presidente da República pensa tirar a condecoração a Cristiano Ronaldo", começa por alegar um utilizador do Facebook numa publicação de 7 de setembro. "Concordo! Não se deve misturar com todos os ladrões condecorados", continua, com ironia, o autor da publicação em causa.

No final de janeiro de 2019, Cristiano Ronaldo reconheceu ser culpado de quatro crimes de fraude fiscal em Espanha e foi condenado a pagar uma multa de 18,8 milhões de euros para evitar cumprir uma pena de prisão de 23 meses. Nessa altura, suspeitou-se que o caso do futebolista português poderia violar alguns dos deveres dos condecorados com Ordens Honoríficas da República Portuguesa.

No entanto, logo no início de fevereiro do mesmo ano, um parecer dos Conselhos das Ordens Honoríficas determinou que "a situação relativa a Cristiano Ronaldo não configura o enquadramento previsto no n.º 1 do artigo 55º da Lei 5/2011, de 2 de Março", pelo que "não justifica abertura de processo". Assim, o caso não teve consequências relativamente às condecorações do futebolista. Recorde-se que Cristiano Ronaldo foi condecorado como Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal, em 2014, e recebeu a Grã Cruz da Ordem de Mérito, entregue por Marcelo Rebelo de Sousa aos jogadores que participaram na conquista do Campeonato da Europa de 2016.

Assim, a informação apresentada nas redes sociais em 2021, estava desatualizada e era apresentada de forma descontextualizada.

Avaliação: Descontextualizado

3. Em 2020, Cristiano Ronaldo estava "a caminho do Benfica" por 30 milhões de euros?

Espalhou-se pelas redes sociais, há dois anos, a imagem de uma suposta capa do jornal desportivo "A Bola" com a seguinte manchete em destaque: "Ronaldo a caminho do Benfica". A informação foi verificada pelo Polígrafo.

"Jorge Mendes está em Lisboa. Hoje há reunião entre o empresário e Luís Filipe Vieira. Devido a dificuldades financeiras, Juventus aceita negociar o português por 30 milhões", indicava-se nos outros títulos da manchete.

Por outro lado, atentando na imagem da capa, deparamos com a data de 1 de abril de 2020. Na altura, o Polígrafo não encontrou qualquer informação fidedigna que apontasse nesse sentido, nem na imprensa desportiva portuguesa, nem na imprensa desportiva internacional. Também não encontrámos a suposta capa do jornal "A Bola" no respetivo arquivo.

Depois de consultada a verdadeira capa de 1 de abril de 2020 do jornal "A Bola", replicada na segunda imagem deste artigo, verificamos que a manchete foi completamente adulterada. Em suma, a capa em que se noticia a transferência iminente de Cristiano Ronaldo para o Sport Lisboa e Benfica, por 30 milhões de euros, era falsa. Tratava-se de uma montagem.

4. Coca-Cola desvalorizou 3,6 mil milhões de euros por causa do gesto de Cristiano Ronaldo?

"Água!", exclamou Cristiano Ronaldo logo no início da conferência de imprensa de antevisão da estreia da seleção portuguesa no Euro 2020. Momentos antes, o jogador tinha retirado duas garrafas de Coca-Cola que estavam junto dos microfones e substituiu-as por uma garrafa de água. O objetivo seria um apelo ao consumo de água, em detrimento de refrigerantes.

O gesto fez correr muita tinta em junho de 2o21 e foi alvo de fact-checking. Segundo o jornal Marca, o gesto de Cristiano Ronaldo teve um impacto negativo na empresa, nomeadamente a desvalorização que terá provocado na bolsa de Wall Street, onde a Coca-Cola está cotada. A queda teria custado cerca de quatro mil milhões de dólares. As ações caíram mais de 1% na segunda-feira e o momento negativo prolongou-se até ao dia seguinte.

O Polígrafo falou com Filipe Garcia, analista da Informação de Mercados Financeiros (IMF), que considerava que seria "uma ficção dizer que o gesto do Ronaldo teve impacto na cotação do título".

"Na abertura do título, que foi às 14h30, isto é antes da conferência de imprensa, as ações já tinham um preço inferior ao do fecho de sexta-feira. A ação no dia 14, segunda-feira, entrava naquilo que tecnicamente se chama de 'ex-dividendo', ou seja, as ações detidas até dia 11, sexta-feira, davam direito a um dividendo de 42 cêntimos de dólar e aquelas que são adquiridas a partir de dia 14 ou detidas a partir de dia 14 já não dão direito a esse dividendo. Uma coisa muito comum que acontece em todas as bolsas", garantiu o especialista.

Em suma, concluiu-se que não se pode fazer uma relação direta entre a desvalorização da Coca-Cola com o gesto de Cristiano Ronaldo. A queda no valor das ações deu-se ainda antes da conferência de imprensa e depois não existem variações significativas na cotação da empresa norte-americana.

Avaliação do Polígrafo: Falso

5. Cristiano Ronaldo recusou cumprimentar o Presidente de Israel por ser "a favor dos muçulmanos"?

Num vídeo que se tornou viral na rede social TikTok, em maio de 2021, alega-se que Cristiano Ronaldo recusou cumprimentar o Presidente israelita. O motivo, segundo o autor da publicação, seria o facto de o futebolista português ser "a favor dos muçulmanos". A publicação remetia para o conflito entre Israel e a Palestina que se agravava nessa momento

vídeo nem sequer era recente, foi partilhado no Youtube a 20 de dezembro de 2014. Por um lado, é possível verificar que Cristiano Ronaldo tem vestida a camisola do Real Madrid, clube que deixou em 2018 para representar a Juventus FC. Por outro lado, nas imagens estão também Carlo Ancelotti, treinador que representou o Real Madrid entre 2013 e 2015, e Joseph Blatter, Presidente da FIFA entre 1998 e 2015.

Nas imagens, Cristiano Ronaldo aparece atrás de Carlo Ancelotti na fila dos cumprimentos. A primeira pessoa que o jogador português cumprimenta é Joseph Blatter, seguido de um abraço a Florentino Pérez, presidente do clube espanhol desde 2000 (com um interregno entre 2006 e 2009).

Depois desses cumprimentos, Ronaldo ultrapassa Ancelotti sem estender a mão a Michel Platini, antigo futebolista francês e presidente da UEFA entre 2007 e 2015, e a uma outra pessoa que também não é Reuven Rivlin, Chefe de Estado israelita, eleito em 2014. Nessa altura, a relação entre Cristiano Ronaldo e Michel Platini não vivia um bom momento, devido às preferências do francês para o prémio de melhor jogador do mundo. O momento foi muito noticiado em todo o mundo (pode ver aqui e aqui).

Essa não foi a primeira vez que o jogador português foi identificado na Internet como sendo contra Israel ou anti-semita. Por exemplo, em 2016, numa altura em que vários incêndios de grandes dimensões causaram mortes, feridos e muitos estragos na ilha da Madeira, Cristiano Ronaldo mostrou, durante uma partida pelo Real Madrid, a palavra "Madeira" na camisola interior, de forma a homenagear a sua terra natal. Contudo, nas redes sociais foi partilhada uma imagem manipulada onde se lia "Salvem a Palestina".

Avaliação do Polígrafo: Falso

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
International Fact-Checking Network