Os bancos devem impor um limite máximo de 40 anos de duração do empréstimo para novos contratos de crédito à habitação, segundo as novas regras de concessão de crédito do Banco de Portugal. A entidade também recomenda que este limite recue para um máximo de 30 anos até ao final de 2022.

A bola aqui está do seu lado. Se é verdade que num empréstimo com menor duração vai pagar menos juros, também deve ter em conta que num empréstimo mais longo vai pagar uma prestação mensal mais baixo.

Em relação ao fiador, quanto maior for o seu perfil de risco – no caso de ter uma elevada taxa de esforço, por exemplo -, maior é a possibilidade do seu banco vir a exigir um fiador para lhe conceder um empréstimo.

É de destacar que o Banco de Portugal estabeleceu um limite de 90% ao rácio entre o montante do empréstimo e o valor do imóvel dado em garantia no caso de créditos para habitação própria e permanente.